Volta Redonda terá Plano Municipal de Proteção e Defesa dos Animais

Volta Redonda terá Plano Municipal de Proteção e Defesa dos Animais

Secretaria de Meio Ambiente e grupo de trabalho iniciam a construção do Plano, que será o primeiro no interior do estado

 

Um grupo de trabalho, sob a coordenação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA) e formado por entidades representativas da sociedade civil e do Governo Municipal de Volta Redonda, realizou nesta quinta-feira, dia 23, a primeira reunião de construção em políticas públicas do Plano Municipal de Proteção e Defesa dos Animais. O secretário de Meio Ambiente, Mauricio Ruiz, prevê que até maio deste ano o documento final que vai subsidiar o Plano Municipal esteja concluído. 

 

“Estamos construindo este Plano de Proteção e Defesa dos Animais, tanto silvestres como domésticos, que faz do município o primeiro do interior do estado a ter esta conquista em políticas públicas para proteger os animais em situação de abandono, doentes ou negligenciados pelos donos”, explicou Mauricio. Esta é a primeira reunião do grupo de trabalho que foi criado por decreto pelo prefeito Samuca Silva em 24 de outubro de 2019. 

 

O secretário acrescentou que este é um compromisso do governo Samuca Silva para desenvolver ações a curto e médio prazo com a participação da sociedade civil, instituições de defesa dos animais, do conselho municipal de proteção e defesa dos animais, OAB e protetores. Segundo ele, é necessário criar uma grande rede de proteção dos animais, com a participação das clínicas veterinárias num programa de castração móvel, doações, educação ambiental nas escolas, resgate, redução de casos de maus-tratos aos animais que, de acordo com Mauricio, tem grande incidência na cidade. 

 

A coordenadora do Bem Estar Animal da secretaria ambiental, Alexsandra Fernandes, comenta que o setor recebe cerca de 15 denúncias semanais. "O objetivo do Plano Municipal é salvaguardar os animais para que tenham qualidade de vida e, consequentemente, combater todo tipo de maus-tratos. Na maioria das denúncias encontramos animais doentes desnutridos, com miíase (bicheira), sarna, doença do carrapato, animais acorrentados, sem liberdade. Vamos levantar qual a problemática de Volta Redonda, o nosso caso concreto para uma lei que resgate e proteja a vida dos animais”, justificou.

 

A vice-presidente da Ong Vira Latas, Quênia Fernanda, destaca a importância da elaboração do Plano Municipal de Defesa e Proteção Animal. "A partir dessa organização estruturada, podemos avançar de uma forma simples e mais elaborada na tarefa de construir este plano. Estamos aqui para participar, acompanhar e exigir que o trabalho seja feito com muita eficiência e qualidade. Queremos um norte junto com o governo municipal em políticas de proteção aos animais”, enfatizou.

 

Fotos de Felipe Carvalho, Secom

Leia também: