Nova Santa Casa realiza mutirão de cirurgias de vesícula e hérnia para zerar filas de espera

Nova Santa Casa realiza mutirão de cirurgias de vesícula e hérnia para zerar filas de espera

Para o primeiro semestre deste ano, estão previstos 75 procedimentos cirúrgicos, que estão sendo feitos aos sábados

 

A Prefeitura de Resende, por intermédio da Secretaria Municipal de Saúde, vem viabilizando mutirões de cirurgias de vesícula, conhecida como colecistectomia, na Nova Santa Casa, situada no bairro Lavapés, todo sábado. A medida visa zerar as filas de espera dos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), que necessitam destas intervenções cirúrgicas e já possuem encaminhamento médico. Para o primeiro semestre deste ano, estão previstos 75 procedimentos cirúrgicos, sendo 48 de vesícula e 27 de hérnia durante os mutirões. A primeira etapa é direcionada para a colecistectomia, que consiste na retirada cirúrgica da vesícula biliar, com um grande aliado: o auxílio da videolaparoscopia, que torna o procedimento menos invasivo e mais rápido. A segunda fase, que acontecerá ainda no primeiro semestre, será voltada para as operações de hérnia.

 

 

O próximo mutirão está agendado para o dia 29 de fevereiro. A cada sábado, são quatro pacientes submetidos às intervenções cirúrgicas. A equipe médica que atua nos mutirões é formada por seis cirurgiões gerais, divididos em duplas, além de outros profissionais essenciais durante o processo cirúrgico, como enfermeiros e anestesistas. Até o momento, foram feitos dois mutirões, nos dias 8 e 15 deste mês.

 

O prefeito de Resende, Diogo Balieiro Diniz, destacou que a iniciativa é de extrema relevância para zerar as filas de espera de vesícula e hérnia.

 

— O cronograma para os procedimentos de março está sendo finalizado com as novas datas. A cirurgia de vesícula, por exemplo, é realizada com videolaparoscopia, que garante maior agilidade, além de ser menos invasivo com este recurso. Com a operação feita por vídeo, os pacientes podem voltar mais rapidamente para as suas atividades cotidianas. Os mutirões estão sendo promovidos devido a uma série de ações do governo municipal, como economia de contratos, melhor organização do centro cirúrgico, cofinanciamento do Governo do Estado do Rio, contratação de novos profissionais e aumento da subvenção. A Santa Casa de Misericórdia vem passando por uma ampla transformação desde o início de 2017, com ênfase na revitalização do espaço físico, ampliação de atendimentos diversos e especialidades oferecidas e capacitação dos profissionais. Com uma gestão comprometida, que prioriza a Saúde Pública, foi possível resgatar não somente uma importante unidade que cuida de vidas, mas parte fundamental da história de Resende – frisa, acrescentando que a unidade também já realizou mutirão de exames de eletrocardiograma, histeroscopia e endoscopia na atual gestão.

 

O prefeito acrescentou que as cirurgias eletivas continuam durante a semana. “Nos dias de semana, a Nova Santa Casa dá prosseguimento às operações nas mais diversas especialidades: cirurgia geral; otorrinolaringologia; ortopedia; urologia; e ginecologia, entre outras. É importante lembrar que o número de cirurgias eletivas triplicou na unidade, no comparativo que compreende o intervalo de 2016 a 2019, um dos marcos da nova gestão”, destaca.

 

Avanços Significativos

Entre os avanços estruturais e melhorias para um atendimento de qualidade à população, podem ser elencados: recuperação da fachada; retorno das cirurgias por videolaparoscopia e oftalmológicas; farmácia 24h, que ganhou maior espaço; reforma dos banheiros, enfermarias, corredores, cozinha, refeitório e lavanderia; aquisição de novos leitos, colchões, poltronas, macas e equipamentos; ampliação do Centro de Material Esterelizado (CME) e do ambulatório do SUS; aumento no número de cirurgias eletivas; licença de funcionamento após 20 anos; R$ 1,5 milhão de dívidas pagas; construção de banheiros para acompanhantes; reestruturação da lavanderia com novos equipamentos; criação de novas vagas de estacionamento; revitalização da capela; novo laboratório; recepção reformada; troca de piso e novo mobiliário; troca da rede de esgotos; instalação da nova subestação de energia; viabilização do exame do sono; criação da Clínica Oftalmológica; implantação do tratamento de varizes por espuma; reestruturação fiscal e previdenciária, possibilitando a emissão de certidões negativas; pagamento da dívida trabalhista (judicial e extrajudicial) de aproximadamente R$ 520 mil; e ecocardiograma com estresse.

 

 

O centro cirúrgico ainda passou por um processo de modernização. Já a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) de quatro leitos foi ampliada para seis, com o serviço de hemodiálise para pacientes internados.

 

Leia também: