Portal dos procurados pede informações sobre um segundo criminoso envolvido na morte do 4º agente de segurança pública em 2020.

Portal dos procurados pede informações sobre um segundo criminoso envolvido na morte do 4º agente de segurança pública em 2020.

 

O Portal dos Procurados divulga nesta quarta-feira, dia 22/01, cartaz com título - Quem Matou? - para ajudar a 93º DP – Volta Redonda – e o Grupo de Pronta Resposta da Subsecretária de Inteligência da PM/SEPMERJ (GPRI), com informações que possam prender um segundo envolvido na morte do Cabo da Policia Militar do Rio de Janeiro Leonardo Pinho da Silva, de 29 anos. 

 

O agente foi morto com um tiro na cabeça, dentro da viatura, na madrugada desta quarta-feira (22) em Volta Redonda, no Sul do Rio de Janeiro. O caso aconteceu na Rua 15, no bairro Padre Josimo. 

 

Ele e mais um policial faziam um patrulhamento de rotina pelo bairro quando tentaram abordar dois homens em uma moto. A dupla reagiu e houve uma troca de tiros. Leonardo foi atingido e morreu no local. Um dos suspeitos, identificado como Marcos Camilo da Silva, também foi baleado e morreu durante o confronto. O outro bandido conseguiu fugir. As duas pistolas usadas no confronto com os policiais foram apreendidas. 

 

Camilo é irmão do traficante Marcelo Camilo da Silva, o Marcelinho Paraíba, que nos anos 90 chefiou o tráfico de drogas na região. Contra Camilo havia um mandado de prisão expedido pela Justiça, informou o delegado titular da distrital Wellington Vieira. 

 

O cabo Leonardo começou a carreira na Polícia Militar em 2011 e trabalhava no 28º Batalhão da PM, em Volta Redonda, mas era morador de Valença. 

 

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização do segundo envolvido na morte do CB Leonardo favor denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp  do Portal dos Procurados (21) 98849-6099 ou pelo mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 0300 253-1177, ou pelo Aplicativo para celular do Disque Denuncia.  

 

Todas as informações sigilosas sobre o caso serão encaminhadas 93 DP e  PMERJ, que tem como prioridade prender os envolvidos na morte do cabo da PM

 

Fotos Divulgação PM

Leia também: