Barra Mansa sanciona lei Municipal de Cultura

Barra Mansa sanciona lei Municipal de Cultura

Com a assinatura, o conselho passa a contar com 24 representantes dos setores culturais  

 

Na última semana foi sancionada em Barra Mansa a Lei 4.848 de 2020. O objetivo do decreto foi de atender o anseio popular que decidiu ampliar a participação de membros no Conselho Municipal de Cultura. Aumentaram de 20 para 24 os setores, sendo 12 da sociedade civil e 12 do poder público. Assim, garantem mais espaços nas discussões voltadas as categorias.

 

Outros setores que garantiram a representatividade foi o artesanato, que desvinculou das artes visuais, a cultura afro, o Hip Hop e a Capoeira. A estimativa é que as eleições dos novos membros aconteçam no dia 29 de agosto, no Fórum Municipal de Cultura que acontece todo ano no Parque da Cidade. Caso ainda haja restrição devido a pandemia da Covid-19, a opção será por videoconferência.

 

Segundo o presidente da Fundação Cultura, Marcelo Bravo, para compor uma cadeira no conselho, basta o interessado ser um agente cultural e ter atuação dentre os setores representados no conselho. “Essa é mais uma conquista que alcançamos. A ideia da ampliação veio desde 2018 e, hoje, se tornou real. É muito importante o engajamento do agente cultural para se credenciar e participar da eleição em agosto", explicou Bravo, que também é presidente do Conselho Municipal de Cultura.

 

O presidente ainda continuou. “Ampliar a extensão do nosso trabalho é garantir mais voz e visibilidade no campo cultural do município. Além disso, ter uma sociedade civil mais organizada nos ajudará a expandir nossas ações e cumprir nosso compromisso de gestão, que foi implementar os programas setoriais. Assim, iniciativas como eventos, exposições, apresentações poderão receber recursos de forma adequada”, completou.

 

Leia também: