Prefeito Rodrigo Drable reafirma capacidade de atendimento da rede municipal de saúde a pacientes com coronavírus

Prefeito Rodrigo Drable reafirma capacidade de atendimento da rede municipal de saúde a pacientes com coronavírus

Até o momento, apenas dois respiradores estão sendo utilizados

 

O prefeito de Barra Mansa Rodrigo Drable atualizou na noite desta terça-feira (19) os números do novo coronavírus no município. Com 443 testes realizados (swab e rápidos), foi possível a identificação de 125 pacientes com a doença, sendo 85 deles curados e com retorno às atividades de rotina permitidas neste momento. Há 76 casos suspeitos, oito óbitos confirmados e cinco em investigação.

 

A capacidade de atendimento da rede pública de saúde aos pacientes contaminados pela Covid-19 foi ressaltada pelo chefe do Executivo. “No momento, apenas dois respiradores do município estão sendo utilizados por dois dos quatro pacientes que estão na UTI da Santa Casa. A unidade médica tem outras três pessoas hospitalizadas na enfermaria. Não temos pacientes pelo novo coronavírus na UPA Centro e no Hospital da Mulher. No Centro de Triagem e Tratamento na Região Leste existem três internações positivas para a doença e quatro suspeitos, todos na enfermaria. O Hospital Regional está atendendo a seis pacientes barra-mansenses suspeitos da doença, dois na enfermaria e quatro na UTI, com dois pacientes em respiradores mecânicos”.

 

Rodrigo também comentou acerca do perfil dos pacientes que vieram a óbito. Todos eram idosos com doenças pré-existentes, como hipertensão, diabetes, problemas pulmonares e renais crônicos. “Aqui em Barra Mansa, como em outras localidades do mundo, os idosos têm se mostrado mais suscetíveis à doença. Existem registros de mortes de jovens, adultos e crianças, porém as pessoas com mais de 60 anos de idade continuam compondo o grupo de maior risco ao vírus”.

 

Ele ainda analisou o contexto do coronavírus sobre a perspectiva da saúde e da economia. No primeiro item, lembrou que, até o momento, não existe vacina para combater a doença. Comentou ainda que estudos realizados por especialistas apontam que o momento crítico provocado pelo vírus deve se estender até agosto. “Ressalto aqui, as ações implementadas pelo município para enfrentar a doença e atender com dignidade aos pacientes: criamos o protocolo de atendimento, o Centro de Triagem e Tratamento da Covid-19, adquirimos testes rápidos para evitar um exponencial aumento no número de contaminações e a cloroquina para os pacientes e ainda sistematizamos o acompanhamento dos pacientes e familiares em isolamento domiciliar pelas equipes de monitoramento da doença. Estamos auxiliando na organização das filas bancárias externas as agências, com equipes para atender as pessoas que eventualmente se sentirem mal e instalamos pias, com sabonetes e papel, em pontos estratégicos da cidade para a higienização das mãos. Apesar desses esforços, enquanto não houver a vacina de combate ao vírus é fato que as mortes vão continuar ocorrendo, assim como os casos positivos da doença”.

 

Do ponto de vista econômico, o prefeito ponderou: “O Brasil vinha de um momento de recuperação da economia em função das medidas adotadas pelo presidente Bolsonaro. Tínhamos a expectativa de melhoria do cenário quando nos deparamos com o coronavírus. Ainda temos muita fragilidade neste setor, as previsões existentes não são boas e não sabemos por quanto tempo conseguiremos suportar essa situação. Estamos vendo indústrias sendo fechadas, a desativação do alto forno e grande massa de trabalhadores sendo demitidos. Especificamente em Barra Mansa, temos problemas que afetam a cidade, principalmente a atividade comercial que garante a sobrevivência digna de aproximadamente 27 mil pessoas, entre trabalhadores e comerciantes. O cenário mostra as dificuldades do governo federal para o pagamento da 3ª parcela do auxílio emergencial de R$ 600. Situação semelhante pode ocorrer no município diante da queda vertiginosa da arrecadação de receitas orçamentárias, o que pode, inclusive, comprometer em alguns meses o pagamento de salários dos servidores, como já anunciado pelos governos de São Paulo e do Rio de Janeiro”, detalhou o prefeito.

 

Para concluir, Rodrigo Drable, afirmou que não existe ilusão que a situação se resolva da noite para o dia. “Não temos como ficar em casa até agosto. Lembro as pessoas que se preocupam com a abertura do comércio que o funcionamento das unidades médicas exige médicos, enfermeiros, medicamentos, equipamentos e insumos e, tudo isso precisa ser pago. Apenas a vacina garantirá o retorno das atividades de trabalho de forma segura, mas enquanto ela está em desenvolvimento, os pais de família precisam ter condições de levar o sustento para as suas casas”.

 

AUXÍLIO EMERGENCIAL MUNICIPAL – A prefeitura encaminhou à Câmara de Vereadores mensagem para a criação do auxílio emergencial direcionado à ambulantes, motoristas e auxiliares de vans cadastrados e em situação regularizada junto ao município. A previsão é de que a mensagem seja apreciada na próxima semana.

 

VOLTA ÁS AULAS – Por enquanto, não há previsão para a retomada das atividades escolares. A implantação do ensino à distância continua descartada em função do número de alunos que não dispõem de internet em suas casas. Dos aproximados 19 mil alunos matriculados na rede, apenas cinco mil teriam condições para assistirem as aulas neste tipo de modalidade.

 

Leia também: