Guia comercial e classificados on-line.

Vagas para 57 funções diferentes ao logo desta semana; município foi o maior gerador de empregos em 2017

     Mais uma boa notícia aos que desejam ingressar no mercado de trabalho em Resende. A cidade que mais gerou empregos em todo o estado, em 2017, abriu mais 250 postos de trabalho esta semana. Ao todo, são oportunidades para 57 tipos diferentes de funções, ampliando as possibilidades para múltiplos perfis profissionais. 

 

     Para participar do processo seletivo é muito simples. O primeiro passo é realizar um cadastro na unidade, localizado na Rua Gulhot Rodrigues, 275, bairro Comercial, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h. Basta levar identidade, CPF, carteira de trabalho, comprovante de residência, número do PIS e um currículo atualizado.

     - Através das intermediações realizadas pelo SINE Resende, aproximamos os empregadores dos candidatos mais adequados às vagas. É um trabalho muito gratificante, que tem gerado grandes resultados ao município, sendo o melhor colocado no estado fluminense, de acordo com o próprio Ministério do Trabalho – explica a secretária de Assistência Social, Jéssica Pavone.

 

 

     Ao longo do ano passado, a Prefeitura de Resende ampliou toda a estrutura física do SINE, que ganhou novos funcionários e um programa muito elogiado por empresários e pela população: o SINE Itinerante, que percorre as comunidades realizando cadastramento de currículos.

     A unidade de Resende intermediou em 2017 mais de 1000 vagas de trabalho. No local, a população também pode realizar solicitações sobre seguro-desemprego, solicitar emissão da Carteira de Trabalho, além de orientações sobre como elaborar e montar um currículo.

 

 As vagas disponíveis até o dia 19 de janeiro são para as seguintes funções

 

Assistente de Faturista

Borracheiro

Cabeleireira

Confeiteiro

Cozinheiro

Diarista

Depiladora

Designer de sobrancelhas

Farmacêutico

Fonoaudiólogo

Funileiro de automóveis

Encarregado de Manutenção de vias públicas

Gerente de Loja

 

 

Maquiadora

Manicure

Motorista (CNH B)

Motorista (CNH E) carga divisível

Mecânico de Manutenção Industrial

Nutricionista

Oficial Gráfico (máquina offset)

Operador de monitoramento

Operador de vendas de empréstimos

Padeiro

Polidor de Automóveis

Supervisor de loja

Supervisor de vendas (crédito)

 

 

Apoio a Gerência

Auxiliar de almoxarifado

Auxiliar de cadastro

Auxiliar de cozinha

Auxiliar de CPD

Auxiliar de depósito

Auxiliar de manutenção

Auxiliar de Recebimento de Mercadoria

Cartazista

Conferente de depósito

Conferente de mercadoria

Cozinheiro

Empacotador

Estoquista

Fiscal de loja

Líder de depósito

Líder de perecíveis

Líder de frente de caixa

Líder de hortifruti

Líder de Loja

Nutricionista

 

 

Operadora de caixa

Operador de empilhadeira

Téc. de Manutenção (elétrica/ hidráulica)

Repositor de hortifrút,

Repositor de frios

Repositor de loja

Garçom

Garçonete

Auxiliar de cozinha

Atendente de balcão

 

 

Volta Redonda reformula legislação sobre transporte coletivo; Lei reformula código de multas e sanções

     A melhoria contínua do conforto e da qualidade no transporte coletivo de passageiros em Volta Redonda segue como uma das prioridades do Governo Municipal. Além do início da renovação da frota e das vistorias semestrais, o prefeito Samuca Silva sancionou no último dia 4 a Lei 5448/2018, que entrou em vigor no dia 11, quando foi publicada. A legislação trata do código de multas e sanções para esse tipo de transporte, substituindo a deliberação 98 de 1966.

 

 

     “Os valores da deliberação eram muito defasados e não cumpriam o papel educativo. Queremos reduzir o índice de reclamações e oferecer um transporte melhor à população”, comentou Samuca Silva.

     Indicada pela secretaria de Transporte e Mobilidade Urbana, aprovada pela Câmara Municipal e sancionada pelo prefeito, a nova legislação criou também um dispositivo para calcular o valor das multas com base na ufivre. O objetivo é que esses valores sempre se mantenham atualizados.

 

 

     “Antes, por exemplo, a multa por não parar em um ponto de ônibus era de R$ 14,80 e agora passa para R$ 258,30. Um veículo em más condições de conservação antes era multado em R$ 50,38 e agora a multa será de R$ 1.104,00”, explica o secretário de Transporte e Mobilidade Urbana, Wellington Silva.

     A STMU indicou, e o prefeito remeteu a câmara de vereadores, que aprovou e ele sancionou em 4 de janeiro a Lei 5448/2018. Esta lei substitui a deliberação 98 de 1966 assinado pelo Sávio Gama e trata do código de multas e sanções de transporte coletivo em Volta Redonda, que tinha valores muito defasados e não cumpriam o papel educativo.

Casos de otite são comuns em crianças durante o verão; quando não tratada corretamente, otite externa pode comprometer permanentemente a audição

     A inflamação do ouvido, conhecida também como otite, pode se tornar um pesadelo nas férias da criançada. Isso por que o período de recesso escolar coincide com o verão e a alta temporada de piscinas, clubes e praias. Os resquícios de água na orelha após a diversão criam um ambiente úmido propício para o crescimento de bactérias ou fungos, podendo causar a otite externa.

      Sofrer com a dor é uma das partes mais difíceis para as crianças quando são acometidas pela otite. Além da vermelhidão na área, a dor é intensa e pode ser agravada até mesmo ao encostar ou apertar a orelha, o que resulta frequentemente em choro e um grande incômodo para os pequenos.

  

     Em crianças menores pode ser um pouco mais difícil identificar a otite, já que elas não conseguem falar que sentem dor. "Os pais devem observar o comportamento. Por exemplo, quando for mamar ou comer, em um quadro de otite, na hora de engolir pode doer e a criança exprimir isto chorando, principalmente nos casos de otite média – que é da timpânica para dentro", explica o médico Jairo Barros do Instituto Brasiliense de Otorrinolaringologia (IBORL).

     Nos casos de otite externa, os pais vão notar vermelhidão e inchaço na orelha, acompanhados de muita dor quando tocada mesmo que levemente. Além disso, a criança passa a levar a mão ao ouvido várias vezes, como se algo estivesse errado. Antes de ir ao médico, para amenizar a dor, pode-se fazer uma compressa morna e colocá-la no ouvido externamente.

     Quando percebido o incômodo na orelha, um dos erros comuns é usar cotonetes para limpar dentro do ouvido no intuito de melhorar. Porém, esta ação é altamente contraindicada, já que, tanto em crianças quanto em adultos, isto pode causar perfuração da membrana timpânica. "Cotonetes, grampos, pontas de caneta... nada disso deve ser introduzido no ouvido. Além de ferir, pode ser porta de entrada para diversas infecções", alerta.


     Como não há prevenção para a inflamação, a orientação médica é cuidar do ouvido após o contato com a água. "Às vezes, no consultório, quando examinamos a orelha da criança é comum encontrarmos grãos de areia dentro. Esses corpos estranhos podem machucar o ouvido e trazer infecções", explica o otorrinolaringologista. Por isso, depois da brincadeira na água, durante o banho, é importante lavar a parte externa da orelha com água corrente para tirar o excesso de areia ou até mesmo de cloro, geralmente encontrado em piscinas.

 

     Identificados os sintomas, os pais devem procurar imediatamente um pronto-socorro pois, se não tratada, a otite pode comprometer até mesmo a audição. Uma vez com otite, as crianças não podem ter nenhum contato do ouvido com a água até serem examinadas adequadamente por um médico para que o tratamento seja iniciado corretamente.

     Mas calma! Não precisa privar os pequenos da diversão. "Algumas crianças são mais propensas a terem otite, outras não. Caso ela não apresente nenhum sintoma e não haja nenhum outro motivo que impeça a brincadeira, ele não deve ser afastado das atividades comuns das férias", finaliza o doutor Jairo.

 

Volta Redonda cria força-tarefa para atuar até o Carnaval

     Com o objetivo de evitar eventos ilegais e garantir a segurança da população atuação da "Força Tarefa" já começa nesta sexta-feira, dia 12. A mesma é formada por órgãos de segurança e prefeitura para atuar coibindo blocos sem autorização – como os "isoporzinhos" – e garantir a tranquilidade durante os desfiles dos blocos autorizados. O grupo de trabalho foi criado nesta quinta-feira, dia 11, pelo prefeito Samuca Silva em encontro com a Polícia Militar, Guarda Municipal, Conselho Tutelar, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e Coordenadoria Municipal de Prevenção às Drogas. 

Foto: SecomVR

     A força-tarefa começará a atuar já neste final de semana, a partir de sexta-feira, dia 12, às 17 horas. De acordo com o prefeito Samuca Silva, o intuito é ter ações de forma preventiva. “Estamos unindo forças para atuar preventivamente. Queremos garantir a segurança e evitar transtornos à população. Com essa atuação, que irá começar já nesta sexta-feira, queremos evitar essas aglomerações, que normalmente contam com som alto, venda de bebidas para adolescentes e outros problemas”, destacou o prefeito.

     Samuca lembrou que, no ano passado, uma força-tarefa também foi criada para evitar os ‘isoporzinhos’ e o resultado foi positivo. “Colocamos toda a nossa estrutura a disposição. No ano passado, através de serviço de inteligência, montamos operações que deram resultado positivo. E isso que queremos repetir em 2018”, completou Samuca.

     O grupo irá se reunir, semanalmente, para planejar as ações que acontecerão sempre nos finais de semana. O Conselho Tutelar, por exemplo, irá fazer campanhas lembrando que vender bebidas alcoólicas para crianças e adolescentes é crime. Já a Coordenadoria Municipal de Prevenção às Drogas, irá realizar campanhas de conscientização contra o uso de entorpecentes.

   

     Durante a reunião que aconteceu no Palácio 17 de Julho, o serviço de inteligência da Guarda Municipal identificou alguns blocos marcados que não têm autorização da prefeitura, como nos bairros São Luiz, Santa Cruz e Aterrado. Os eventos são divulgados principalmente pelas redes sociais. “Vamos continuar o monitoramento as redes sociais, identificando o organizador que terá que responder legalmente sobre o evento não autorizado”, destacou o comandante da Guarda Municipal, Paulo Dalboni.

     De acordo com Dalboni, a força-tarefa irá atuar em várias frentes. “Vamos nos reunir na Ilha São João e, a partir de um diagnóstico prévio, vamos nos dividir, indo cada equipe para um bairro. Toda nossa estrutura estará a disposição, como reboque de carros e motos, para atuar coibindo esses eventos”, destacou.

     Já o capitão da Polícia Militar, Robson Guerreiro, do 28º Batalhão, elogiou a criação do grupo. “Temos que atuar de forma preventiva e, em locais onde já estejam acontecendo esses blocos, temos que partir para a repressão. Não podemos permitir excessos. Sabemos que o som alto, por exemplo, é um dos fatores que mais incomodam os moradores. Estamos juntos nessa batalha”, destacou o PM.

Reunião na secretaria de Cultura contou com a presença de representantes dos Bombeiros, Polícia Militar e Guarda Municipal

     A prefeitura de Volta Redonda está preparando os últimos detalhes para o Carnaval 2018. Em reunião nesta quarta-feira, dia 10, na secretaria municipal de Cultura, estiveram presentes diretores de 21 blocos carnavalescos e agentes das forças de segurança que atuam no município. O objetivo foi tratar dos desfiles dos blocos de rua, que começaram a desfilar pelas ruas da cidade a partir de 28 de janeiro.

     Segundo a secretária de Cultura, Aline Ribeiro, o intuito é planejar, junto com os órgãos de segurança, os desfiles visando a tranqüilidade dos foliões. “A reunião serviu para ajustar o cronograma das apresentações, principalmente em relação ao horário do término dos blocos para que todos possam se divertir sem causar transtornos a comunidade. Queremos que os desfiles terminem mais cedo para evitar aglomerações que trazem muitos problemas de segurança após o final das apresentações”, afirmou.

     A prefeitura vai fornecer aos blocos, segundo a secretária de Cultura, uma estrutura mínima para os blocos, priorizando a segurança. “A abertura do processo na Secretaria Municipal de Fazenda para os blocos é importante para um melhor controle e ajudar na organização de vocês. Estamos oferecendo o mínimo de ajuda, mas em 2019, haverá uma estrutura bem maior no apoio que desejamos resgatar para oferecer. Muitos blocos de enredo estão voltando ao carnaval”, justificou Aline Ribeiro.

     Os representes dos blocos carnavalescos concordaram em encerrar mais cedo as apresentações para garantir maior segurança. Os diretores dos blocos cadastrados na secretaria municipal de Cultura têm que pedir uma Licença para desfile junto a secretaria de Fazenda. Os documentos necessários são: RG e CPF do responsável, relação de barracas e produtos a serem comercializados e declaração de anuência da Associação de Moradores do Bairro. Em caso de segurança particular no evento, é necessário apresentar autorização da Polícia Federal.

      Já os órgãos de segurança pública (Corpo de Bombeiros, Polícia Civil e Polícia Militar) tem que emitir declaração de ‘Nada a Opor’, sendo comunicados antecipadamente o dia dos desfiles, horário, local do percurso e estimativa de público. O 28º Batalhão da Polícia Militar em Volta Redonda exige dos diretores do bloco o encaminhamento de um ofício ao qual respondem a 19 itens, com o nome do promotor do evento, endereço, entre outros.

    Representando o 28º Batalhão da Polícia Militar no encontro, o capitão PM Guerreiro, disse que a corporação dará todo o suporte necessário para que o carnaval ocorra de forma tranquila. “Planejamento é tudo, pois não temos condições de prever tudo que vai acontecer. Pedimos muito cuidado no fechamento das ruas, dos acessos, para não prejudicar o cidadão que deseja passar e não ter problemas neste deslocamento no dia a dia”, comentou o policial.

     Já o major Anderson Cardoso, dos serviços técnicos do Corpo de Bombeiros, salientou que eventos em locais fechados, como clubes e boates, precisam de autorização da corporação. “Se for evento fechado em clubes, os estabelecimentos tem que estar legalizados, licenciados, com lotação previamente estabelecida e com autorização”, reforçou. Para ambientes fechados, o Corpo de Bombeiros exige o atendimento de 25 itens para aprovar a realização da festa.

 

     A reunião teve a participação dos representantes dos blocos, da Guarda Municipal, secretarias municipais de Fazenda (SMF), Transporte e Mobilidade Urbana (STMU), Coordenadoria da Juventude, Conselho Tutelar, Ciosp, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Coordenadoria de Prevenção ao Uso de Drogas e Álcool, Conselho Municipal da Criança e Adolescente e Conselho Municipal de Cultura. - Por José Afonso, com fotos de Evandro Freitas – SecomVR

 

 

     Os agentes da Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil de Volta Redonda vão participar neste sábado, dia 13, e domingo, dia 14, de um curso de Atendimento Pré-Hospitalar, no Memorial dos Ex-combatentes, no bairro Sessenta. Entre o conteúdo programático do curso, está trabalho em equipe e liderança, biossegurança, aspectos éticos e humanização da assistência, suporte básico e avançado de vida, cinemática do trauma e acidentes com múltiplas vítimas, catástrofes e produtos perigosos.

Serviço: Curso de Atendimento Pré-Hospitalar

Local: Memorial dos Ex-combatentes, Rua 310, s/n, no bairro Sessenta.

Dias: 13 e 14 de janeiro.

Horário: 8 às 17 horas.

PUBLICAÇÃO

Login (2)

Entrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim
Banner lateral 4
Banner lateral 3
Banner lateral 8
Banner lateral 7
Banner lateral 1
Banner lateral 9
Banner lateral 2
Banner lateral 5
Banner lateral 6