Banner 776 x 186 topo

Guia comercial e classificados on-line.

Prefeitura Municipal de Resende-RJ

Medida possibilita manter contas e salários em dia, além de gerar novos investimentos nos serviços públicos

 

A Prefeitura de Resende economizou, de janeiro a outubro deste ano, R$ 28.759.097,87 com a revisão de contratos de licitação em todos os setores da administração municipal. De acordo com a Superintendência Municipal de Licitações e Contratos (SUMLIC), órgão vinculado à Secretaria Municipal de Governo e que é responsável pela realização dos processos licitatórios, a medida só foi possível em função da realização de processos corretos, onde prevaleceu o princípio da economicidade, ou seja, a aquisição de bons produtos, com valores mais baixos.

 

 

Ainda segundo a SUMLIC, além do corte feito no ano passado de inúmeros contratos considerados desnecessários, a revisão das licitações também foi crucial para que os recursos públicos fossem poupados, especialmente em áreas prioritárias como a saúde, por exemplo. A Superintendência informou que, do valor total de R$ 28.759.097,87 economizados na atual gestão, mais de R$11 milhões foram poupados neste setor, graças à revisão dos contratos de aquisição de produtos essenciais, como medicamentos, sondas e equipamentos básicos, entre outros.

 

- Com a realização de processos justos e corretos, onde nossas equipes trabalham de maneira séria e comprometida com o bem público, conseguimos destinar os recursos economizados para áreas prioritárias, beneficiando a população que mais precisa. Hoje podemos afirmar, com convicção, que em nossa gestão, os processos licitatórios são realizados com base em valores de mercado, e que tudo é feito com muita pesquisa, buscando sempre o princípio da economicidade. É desta forma que estamos conseguindo reduzir preços e gerar economia para os cofres públicos, o que na prática se reverte em novos investimentos para a própria população – explica o prefeito Diogo Balieiro Diniz.

 

Segundo ele, as mudanças adotadas na realização dos processos licitatórios, aliadas a outras medidas de contenção de despesas, como o corte de contratos cujos valores eram considerados exacerbados, e a redução do número de cargos comissionados, entre outras providências, contribuíram tanto para o equilíbrio das finanças municipais, como também para a conquista do parecer favorável à aprovação de contas do município, concedido este ano pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE).

 

Outra consequência positiva, apontada pelo prefeito, foi a manutenção do pagamento dos servidores em dia, inclusive o 13º salário, pago com oito dias de antecedência – uma realidade bem diferente da maioria dos municípios brasileiros, em especial os do Estado do Rio, que não estão conseguindo manter em dia os direitos dos trabalhadores.

 

- O ano de 2017 foi o de maior dificuldade para a nossa gestão, pois, além da crise financeira enfrentada pelo país, ainda tivemos que assumir uma dívida de mais de R$ 4 milhões, deixada pela administração anterior. Agora, com a casa em ordem e adotando o princípio da austeridade e do respeito ao dinheiro público na realização dos processos licitatórios, estamos, finalmente, conseguindo respirar mais aliviados. E o resultado disso pode ser visto nas ruas, com a retomada de obras importantes e a realização dos novos investimentos que a população tanto deseja – disse o prefeito.

 

 

, foto: Gleisiane Carvalho.

 

 

PUBLICAÇÃO

Login (2)

Entrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim