Banner 776 x 186 topo

Guia comercial e classificados on-line.

Procon de Volta Redonda realiza fiscalizações nos postos de GNV

Ação vai ficar freqüente no município tanto para os postos de Gás Natural Veicular, como para os postos de combustíveis.

 

O Procon de Volta Redonda, junto com a Guarda Municipal e a Secretaria de Fazenda, realizaram uma fiscalização em alguns postos de Gás Natural Veicular (GNV) do município. Com o objetivo de fiscalizar e mapear se há abuso no valor cobrado na bomba, a ação ocorreu ainda para levantar a regulamentação dos postos e saber se está tudo em conformidade.

 

 

Para o Coordenador Administrativo do Procon, Alexandre Masse, esta ação vai se tornar frequente com a finalidade de evitar o exagero e acompanhar o preço que o dono do posto paga no metro cúbico e quanto ele vende. “No caso de alguma irregularidade, na nossa visita iremos orientar os comerciantes para que eles tomem alguma providência e se adequem aos preços”, ressaltou Alexandre.

 

Essas visitas são feitas em 80% dos postos de GNV do município e muita das vezes escolhidas através das reclamações dos clientes, no Procon. Para eles, o preço médio varia entre 3,60 a 3,70 o metro cúbico.

 

Neuza Tosta, moradora do bairro São Luis, é cliente assídua de um posto no Aterrado disse que essas fiscalizações deixam os clientes mais seguros no preço que estão pagando. “É muito importante quando isso acontece porque faz com que a gente tenha certeza que estamos pagando um preço justo e que os postos não abusem nos valores”, afirmou.

 

Procon de Volta Redonda realiza fiscalizações nos postos de GNV

 

“A população tem que se conscientizar sobre esses abusos. Pois a melhoria dos preços começa com a participação de cada cidadão em pagar um preço acessível. Qualquer abuso que a população note, deve ser comunicado ao Procon para que auxiliemos nas medidas a serem tomadas”, finalizou Alexandre.

 

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, lembra que o objetivo dessas fiscalizações é fazer com que essas empresas não aproveitem desse produto para lucrar em cima dos consumidores. “A concorrência sempre é saudável e o mais beneficiado têm que ser sempre o consumidor. Desenvolvemos na prefeitura várias ações visando a ampla concorrência. Gostaríamos que os órgãos estaduais e federais, que são os verdadeiros responsáveis pela fiscalização de postos, ajudassem a cidade em diminuir os preços abusivos”, disse, acrescentando que a vinda de novas empresas também significa mais vagas de emprego.

 

Por Renan Ferreira com fotos de Evandro Freitas.

 

 

PUBLICAÇÃO

Login (2)

Entrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim