Banner 776 x 186 topo

Guia comercial e classificados on-line.

Em VR vacinas estão disponíveis durante todo o ano nas unidades de saúde

     Volta Redonda se prepara para participar da Campanha Nacional de Vacinação contra Poliomielite e Sarampo que será realizada entre os dias 06 e 31 do próximo mês de agosto, com o Dia D já programado para o sábado, dia 18. O município tem cerca de 14 mil crianças com idade entre um e quatro anos, que formam o público alvo da campanha. A meta é vacinar, no mínimo, 95% dessas crianças, cerca de 13,3 mil.

 

     De acordo com o secretário de Saúde de Volta Redonda, Alfredo Peixoto, serão realizadas ações de divulgação e conscientização junto à população para garantir que os pais levem seus filhos às unidades de saúde. “Todas as 44 unidades de saúde da Atenção Básica vão participar da campanha, facilitando o acesso da população às doses da vacina”, afirmou o secretário.

     A coordenadora de Vigilância Epidemiológica de Volta Redonda, Milene Paula de Souza, afirma que o objetivo da campanha é aumentar a cobertura vacinal, evitando que doenças já sob controle no país voltem a adoecer crianças e adultos não vacinados. “Pois, a vacina contra a pólio e a tríplice viral, que protege contra o sarampo, caxumba e rubéola, são oferecidas na rede pública de saúde pelo Programa Nacional de Imunizações durante todo o ano e estão disponíveis nas unidades de saúde de Volta Redonda”, falou.

     A tríplice viral deve ser tomada na infância e em duas doses, a primeira com 12 meses e a segunda com 15 meses. Na segunda dose, a vacina recebe um reforço contra uma quarta doença, a varicela, infecção viral altamente contagiosa que causa a catapora.

     A vacina contra a poliomielite torna a criança protegida contra três tipos diferentes do vírus que causa esta doença, conhecida popularmente como paralisia infantil. Para garantir a melhor proteção é preciso tomar cinco doses da vacina antes dos cinco anos de idade. “É importante que os pais levem a caderneta de imunização para registrar a administração das vacinas”, alertou Milene.

NO BRASIL E EM VR

     No Brasil, coberturas vacinais com doses de reforço estão muito abaixo da meta esperada para todas as vacinas do Calendário Nacional de Imunização. No caso da tríplice viral, a segunda dose da vacina não bate a meta de vacinação, de 95%, desde 2012.

     Em Volta Redonda, também houve registro de queda na cobertura vacinal. Em 2014 registramos mais de 95% do público alvo vacinado contra poliomielite, já em 2015, esse percentual caiu para menos de 80%. Em 2016 e 2017 não houve campanha para pólio, as doses foram administradas para atualização do cartão de vacinação – em crianças que estavam com a vacina em atraso.

ALERTA

     O Brasil ganhou o título de eliminação do sarampo em 2016, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) identificou que o país estava havia um ano sem registro de casos do vírus. Mas, neste ano, novos casos foram introduzidos no Norte do país por uma combinação de não-imunizados brasileiros e infecções vindas da Venezuela.

     A poliomielite, doença não registrada há mais de 20 anos no Brasil, também pode voltar. A preocupação com a pólio se dá pelo fato de que, embora não tenha havido casos recentes no Brasil, houve um registro da doença na vizinha Venezuela e da circulação do vírus em 23 países nos últimos três anos.

 

     O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, afirma que o governo municipal não medirá esforços para garantir a ampliação da cobertura vacinal da população para essas doenças. “Os alertas acima colocam em evidência doenças que estavam controladas graças à vacinação em massa, mas que ameaçam provocar estragos na saúde pública brasileira caso a imunização sofra baixas. Volta Redonda vai fazer sua parte”.

PUBLICAÇÃO

Login (2)

Entrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim