Banner 776 x 186 topo

Guia comercial e classificados on-line.

 

Por Giovani Nogueira

Primeiro foi resgatado em menos de 9 horas

     O diretor do departamento de saúde de Chiang Rai, Tossathep Boonthong, afirmou que quatro meninos já foram resgatados e levados para o hospital local na Tailândia. Médicos examinaram o grupo no sábado e decidiram que os que estão mais fracos seriam retirados primeiro. Neste domingo, as buscas foram interrompidas devido às chuvas e a noite que se adentra e serão retomadas amanhã.

Para fazer os 4 km da caverna, são gastos em média 11 horas entre ida e volta. A operação está sendo realizada por uma equipe internacional de socorristas.

    Os resgatados estão sendo tratados inicialmente em uma tenda médica instalada na entrada da caverna. Demonstrando grande força mental e equilíbrio psicológico, eles escreveram: 'Não se preocupem com a gente'.

"DIA D"

   Com fortes chuvas já programadas para cair no decorrer do dia e o receio de que isso dificulte ainda mais a situação, as autoridades decidiram começar a arriscada operação para tirar 12 garotos e seu técnico de futebol do complexo de cavernas. Presos há duas semanas os garotos estão saudáveis e prontos para serem retirados já que tem recebido assistência médica e suprimentos.

OPERAÇÃO

    O grupo está na saliência de uma rocha 4 km adentro do complexo Tham Luang, o quarto maior do país. Fortes chuvas estão previstas para este domingo na província de Chiang Rai - e ela já começou. As equipes vinham tentando escoar o máximo de água possível do local para viabilizar um resgate sem a necessidade de mergulho, mas eles decidiram que não podem mais esperar.

   Neste momento, o nível de água na caverna é o menor desde que o grupo foi encontrado, há dez dias. O risco é que as chuvas voltem a fazer esse nível subir. Os mergulhadores vinham ensinando aos 13 na caverna como respirar embaixo d'água e como usar o equipamento de mergulho. O mais importante agora, dizem eles, é evitar "pânico". As informações estão sendo repassadas pela agência de notícias Reuters.

RISCOS

     O pior trecho fica mais ou menos na metade do caminho de volta - eles passarão por um local chamado de "Bifurcação em T", que é tão estreito não é possível levar os tanques de oxigênio nas costas.

     Nesse momento, os mergulhadores vão tirar os tanques de suas costas, colocá-los no chão e rolá-los devagar, enquanto guiam o garoto pelo canal.

     Algum tempo depois, eles chegarão na Câmara 3, a caverna que é usada como base avançada para os mergulhadores. Lá, irão descansar, ser examinados novamente e caminhar até a saída, de onde devem ser levados diretamente para um hospital local.

     Um mergulhador experiente da Marinha, Saman Gunan, morreu dentro da caverna durante a viagem de volta, em uma indicação do quão difícil é a missão. Ele tinha ido levar tanques de oxigênio ao grupo.

POR QUÊ ENTRARAM ?

     Os garotos fazem parte do time de futebol Wild Boars e têm entre 11 e 16 anos. Eles conhecem bem a área. Acredita-se que eles foram para a caverna no dia 23 de junho após um treino, para comemorar o aniversário de um dos colegas, e levaram apenas alimentos básicos. Mas, por causa da época do ano, uma enchente provocada pela chuva os deixou presos lá dentro, cerca de 600 metros sob a superfície.

     Encontrados por mergulhadores no domingo passado, estavam famintos e assustados, mas, bem considerando as circunstâncias. Desde então, mergulhadores da Marinha os fazem companhia, e levam comida, luz e tratamento médico para eles regularmente.

PUBLICAÇÃO

Login (2)

Entrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim