Banner 776 x 186 topo

Guia comercial e classificados on-line.

Secretários municipais discutiram com o prefeito atendimento integrado e criação de política pública com as características municipais

 

A assistência integrada à população de rua em Volta Redonda foi tema de reunião no final da tarde desta quarta-feira, dia 30, no gabinete do prefeito Samuca Silva. Ele reuniu seis secretários municipais para discutir ações imediatas e a longo prazo para resolver a questão.

 

 

Estavam presentes os secretários de Saúde, Alfredo Peixoto; de Ação Comunitária, Marcus Vinícius Convençal; de Políticas para Mulheres, Idosos e Direitos Humanos, Dayse Pena; de Cultura, Aline Ribeiro; de Desenvolvimento Econômico e Turismo; Joselito Magalhães; e o comandante da Guarda Municipal, Paulo Henrique Dalboni. Além de profissionais que atuam nestas secretarias.

 

No encontro foi enumerada toda rede de assistência já existente no município, principalmente nas secretarias de Saúde e Ação Comunitária, como o Consultório na Rua, o Caps-AD (Centro de Assistência Psicossocial – Álcool e Drogas), o quarto de passagem, o Centro POP, e o projeto Superação. E, principalmente, foram apresentadas sugestões para que essa rede inclua as secretarias de Direitos Humanos, Cultura e Desenvolvimento Econômico para que as ações se tornem mais eficaz.

 

 

Para o prefeito Samuca Silva, o atendimento deve ser feito onde está o morador de rua, em seu ambiente de conforto. “Uma boa ideia, que pode ser adotada por nossas equipes de assistência é fazer o acolhimento junto com uma atividade – artística talvez – que possa despertar o interesse desse morador de rua e culmine na inserção dele no mercado de trabalho”, afirmou.

 

Outra decisão importante foi a criação de uma política pública voltada para a população de rua, levando em consideração as características desse público em Volta Redonda. “Em dois meses, um grupo de trabalho com representantes das secretarias envolvidas vão apresentar um documento base para a criação dessa política”, disse Samuca.

 

Ele afirmou ainda que o objetivo é inovar, criar soluções novas para esse problema antigo e crescente, seja por uso de drogas, problemas econômicos ou conflitos familiares. “Quero deixar um legado para Volta Redonda em relação ao atendimento à população de rua”, falou, lembrando que, em dez, dias será realizada uma nova reunião para avaliar o andamento das ações propostas.  

 

Por Secom-VR com fotos de Evandro Freitas.

 

 

PUBLICAÇÃO

Login (2)

Entrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim