Banner 776 x 186 topo

Guia comercial e classificados on-line.

Casa servirá para atender as mulheres que são vítimas de violência física

     Uma reunião criando a “Casa Abrigo de Permanência Breve” aconteceu na tarde desta quinta-feira, dia 8, na sede da prefeitura de Volta Redonda, no Aterrado. A casa, que servirá para abrigar as mulheres que são ameaçadas de morte, atenderá todo o Sul Fluminense. O endereço do local é mantido em sigilo. 

     A reunião teve a participação do prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva; o de Barra do Piraí, Mário Esteves; o de Pinheiral, Ednardo Barbosa; e o de Quatis, Raimundo de Souza (o Bruno da Padaria), além do secretário estadual de Direitos Humanos e Política para as Mulheres e Idosos, Átila Nunes, e outros representantes das cidades da região.

     O local tem capacidade para abrigar 15 mulheres ao mesmo tempo e o funcionamento será através de uma parceria entre o Governo do Estado e as prefeituras. “É um grande avanço nas políticas públicas para as mulheres. A casa é um investimento que não pode esperar porque é uma questão de vida ou morte das mulheres ameaçadas. A violência não tem fronteiras e, por isso, pensamos nas políticas públicas de maneira regional”, frisou o prefeito Samuca Silva

     O secretário estadual também destacou a importância dos investimentos no interior do estado do Rio. “Em tempos de crise, estamos nos unindo com o prefeito Samuca Silva e outras lideranças da região para viabilizar a casa, que pode ser considerada como ‘milagre’ devido a falta de verbas do Governo do Estado. Poderíamos de ter escolhido a capital ou a região metropolitana, mas optamos pela região Sul Fluminense em função do trabalho realizado por Volta Redonda”.  

     A reunião faz parte das comemorações do Dia Internacional da Mulher. Dayse Penna, secretária municipal de para Políticas para Mulheres, Idosos e Direitos Humanos, destacou a dedicação do prefeito e da equipe da secretaria para retomada deste projeto em Volta Redonda. “Não só voltamos, mas ampliamos o projeto. Isso mostra a dedicação e a boa vontade do prefeito Samuca Silva em tratar uma pauta tão delicada como essa”.

     Para o prefeito de Quatis, Raimundo de Souza, o Bruno da Padaria, a casa é para aliviar a dor das mulheres que sobrem com a violência. “O ideal era não termos essa casa. Porém, precisamos dela e é um porto seguro num momento de angustia das mulheres”, opinou.    

     Ednardo Barbosa, de Pinheiral, concordou e complementou: “Hoje devemos pensar numa maneira regional as políticas públicas, como já estávamos fazendo na área da saúde e segurança pública. E, agora, para as Mulheres. Parabenizo o prefeito Samuca Silva pela receptividade”.   

     Para o prefeito de Barra do Piraí, o projeto chega à região num momento fundamental. “É um ganho para todas aquelas que sofrerem caladas, que correm o risco de morrer por causa da violência. O investimento chega num momento certo, no tempo de crise financeira do Governo do Estado e da União”.

 

 

PUBLICAÇÃO

Login (2)

Entrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim